Podcast Like 103.3

Divertida Mente 2 traz insights sobre adolescência, comenta especialista; ouça o Like 103.3

Divertida Mente 2 recebe holofotes desde o lançamento, com salas de cinema lotadas e crianças, jovens e adultos emocionados. E não é à toa: o filme é tudo isso mesmo! A introdução dos personagens ansiedade, tédio, vergonha e inveja na vida agora adolescente de Riley trouxe uma nova dinâmica à história, marcando uma mudança significativa em relação ao primeiro filme.

“A adolescência é um período de intensas transformações hormonais, comportamentais e emocionais, além de um momento crucial para o desenvolvimento de novas conexões neurais e habilidades socioemocionais. É quando os adolescentes começam a considerar as consequências de suas ações, preocupam-se com a aceitação social e buscam ser queridos”, comenta a biomédica especializada em desenvolvimento infantil, Telma Abrahão.

Quer continuar no papo sobre transição de fases? Então ouça o novo episódio do Like 103.3! Além disso, confira todos os programas aqui.

Divertida Mente 2
Reprodução/Pinterest

“Nesta fase, os amigos ganham maior influência enquanto os pais, que eram figuras heroicas na infância, passam a ocupar um papel mais secundário. O medo de rejeição e a pressão para alcançar padrões elevados aumentam, gerando uma ansiedade significativa, destacada como a emoção central no novo filme”, acrescenta.

No entanto, Telma adverte sobre os potenciais efeitos adversos se a ansiedade não for compreendida. “Embora a ansiedade possa ser motivadora ao estimular a reflexão sobre o futuro e evitar erros, também pode levar a decisões impulsivas e resultados indesejados. A adolescência é um período de conflito intenso entre o desejo de sucesso e o medo do fracasso”, explica.

Siga @likemagazinebr para mais dicas de beleza e moda!

Ela enfatiza a importância de orientação e apoio dos pais, reconhecendo que o adolescente já possui personalidade própria e ideias definidas. “É fundamental que os pais orientem esses sentimentos, promovendo um diálogo respeitoso e empático. É durante a adolescência que a capacidade de prever as consequências das próprias ações começa a se desenvolver, um aspecto crucial do controle inibitório”, destaca Telma.

“Essa habilidade ajuda o adolescente a ponderar suas decisões e refrear impulsos, algo essencial para seu crescimento. A ansiedade, apesar de gerar desconforto, também serve como um guia para medir suas ações e pensar nas consequências”, aconselha.

Telma conclui ressaltando que, mesmo nesse período de busca por identidade e autonomia, os valores e a base sólida proporcionados na infância pelos pais continuam a ser fundamentais. “Um ambiente familiar de amor, segurança e valores firmes oferece ao adolescente um referencial para tomar decisões conscientes. Os pais, agora vistos de uma nova perspectiva, têm a oportunidade de fortalecer o relacionamento através do respeito mútuo e da conexão emocional”, finaliza Telma.

Amanda Bernardo

Graduanda de jornalismo da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Cobre eventos e novidades de beleza, com foco em tendências e lançamentos de cabelo. Tem experiência em cobertura de feiras sobre decoração, como CASACOR e Mostra Glass. Além de repórter no digital, integra a produção do programa de rádio Like 103.3, do impresso e das redes sociais. Apaixonada pela escrita e por séries, livros e filmes de comédia romântica.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *