Revista Like Magazine

Este site foi desenvolvido com uma tecnologia que este navegador não suporta.
O navegador que você está utilizando está desatualizado. Ele possui falhas de segurança e uma lista limitada de funcionalidades. Você perderá qualidade na navegação em alguns sites.


Escolha um novo Navegador e navegue com mais segurança

Estas são as últimas versões dos navegadores gratuitos mais utilizados.



Os 5 melhores destinos floridos do mundo

08/09/2017 / Por: Bruna Kirsch

Chegou a nossa vez de curtir a primavera e, com ela, os dias mais alegres, coloridos e floridos. Enquanto no Brasil a estação está recém-começando, no hemisfério Norte ela ainda está longe. Selecionamos destinos incríveis para vocês poderem apreciar a beleza das flores a qualquer época do ano.

 

Amsterdã
O marco da primavera na Europa é a abertura dos portões de Keukenhof, em Amsterdã. Ele nada mais é do que o maior parque de tulipas do mundo e recebe todos os anos cerca de um milhão de visitantes nos seus imensos jardins. São 32 hectares de campos floridos com cerca de sete milhões de bulbos de tulipas, o principal produto de exportação do país. Para percorrer todo o parque você deve reservar no mínimo três horas. E, um dos melhores horários para visitá-lo é depois das 15 ou 16 horas, quando as multidões ficam menores e a luz do sol está mais baixa. Os sete jardins inspiradores oferecem aos visitantes uma oportunidade única de obterem ideias para seus próprios jardins. Já para as crianças, Keukenhof tem um labirinto, um parque infantil, a casa da coelhinha Miffy e um zoológico. Uma caça ao tesouro leva aos lugares mais bonitos. O bacana é que o parque de Keukenhof é redesenhado a cada ano e as plantas são cuidadosamente selecionadas para que os visitantes possam desfrutar do cenário de floração durante todo o período de abertura do local.


 

Provence
Outro lugar imperdível para os amantes de flores, famoso mundialmente, são os campos de lavanda da região de Provence, na França. Além de ser uma das regiões mais bonitas do país, localizada ao longo da ensolarada costa do Mediterrâneo, Provence é uma festa para os sentidos: experimente sentir o cheiro de lavanda ouvindo as ondas do oceano. É na primavera que as deslumbrantes flores começam a tomar cor e forma e, entre junho e julho, chegam ao seu ápice. Os campos de Luberon, Mont Ventoux, bem como Sault e Valensole estarão em plena floração. Conheça a Rota da Lavanda, que contém uma série de itinerários perfumados que atravessam Provence e oferece uma imersão total nesta planta. São muitos roteiros a se fazer para ver os campos de lavanda. Há mais de 70 lugares para visitar e cerca de 40 possibilidades de acomodação naquela região. Para se chegar a Provence, uma das portas de entrada é Marsela, que também é uma das cidades mais charmosas da região. Vale a pena se hospedar nesta cidade para ir e voltar das plantações, localizadas entre uma e duas horas de carro.


Tóquio
Muito além das famosas cerejeiras, o Japão pode ser uma grata surpresa quando se fala em flores. Fica do outro lado do mundo um dos parques mais supreendentes e belos, que funciona o ano todo. O Ashikaga Flower Park fica localizado em Tochigi Ken, ao norte de Tóquio. Ele é caracterizado por seus belos jardins sazonais, que a cada estação ganham um novo cenário. Em cerca de 20 hectares ficam espalhadas centenas de azaleias, hortênsias, lírios d’água, calamis, além das flores mais apreciadas do país, as glicínias (também chamadas de fuji). O ponto alto do parque é o Túnel Wisteria, formado por glicínias japonesas, que são trepadeiras que florescem durante a primavera. Na estação, as flores das árvores formam cachos que cobrem uma área de mil metros quadrados. Esta flor pode ter diferentes colorações, como branco, rosa claro, roxo, amarelo, embora sejam as de cor lilás as consideradas como genuinamente japonesas. A grande atração em Ashikaga é uma enorme árvore de glicínia com mais de 100 anos e ramos suportados em videiras, criando um guarda-chuva de flores roxas de fuji.


Toscana
A região da Toscana encanta pelo seu charme, pela arte, pela arquitetura, pela gastronomia, pela moda, e, é claro, pela natureza. E é na alta temporada, em julho, que os campos de girassóis se tornam os astros do destino. Sempre radiantes, eles são facilmente encontrados na beira de estradas ladeadas por ciprestes, quando vilarejos medievais brotam do alto das montanhas, enchendo os olhos dos viajantes. Como as flores são plantadas para rotação de culturas, não é possível saber a localização exata de onde encontrá-las. Mas, geralmente elas ficam em propriedades no caminho para os famosos vilarejos medievais. A região de Val D’Orcia é famosa por girassóis e abriga cidades charmosas como Pienza, Montepulciano e Montalcino. Procure-os nos arredores da Villa Medicea di Cafaggiolo e do Lago di Bilancino. A dica é fazer os passeios pelas estradas de carro, aí você fica à vontade para parar onde bem entender. Muitos dos campos ficam em propriedades particulares, mas os donos das terras já estão acostumados com a quantidade de turistas que param o carro para fotografá-las.


Washington, DC.
O National Cherry Blossom Festival marca a florada das cerejeiras em Washington, DC. E, se a capital dos Estados Unidos já conta com atrativos suficientes para merecer a sua visita, nesta época a cidade fica ainda mais especial. A celebração anual honra a amizade duradoura entre os Estados Unidos e o Japão, estreitando a relação entre os países. As primeiras árvores, ainda doentes, chegaram ao local em 1910. Depois, chegaram três mil mudas em 1912 e, ao longo dos anos, presentes foram trocados entre as duas nações. O festival começou a ser celebrado em 1927 e cresceu muito desde então. Em 1994 expandiu-se para duas semanas e cresceu novamente em 2012, marcando os 100 anos do presente, quando a celebração durou cinco semanas. Anualmente ele recebe mais de 1,5 milhão de pessoas para desfrutar de uma diversificada programação. Os turistas se aglomeram às margens do lago no Tidal Basin, e registram dali fotos dignas de cartões-postais, com o memorial Thomas Jefferson ao fundo.


Leia a reportagem completa na edição impressa da Like Magazine nº 53.

Fotos: Fotolia

Compartilhe: