Revista Like Magazine

Este site foi desenvolvido com uma tecnologia que este navegador não suporta.
O navegador que você está utilizando está desatualizado. Ele possui falhas de segurança e uma lista limitada de funcionalidades. Você perderá qualidade na navegação em alguns sites.


Escolha um novo Navegador e navegue com mais segurança

Estas são as últimas versões dos navegadores gratuitos mais utilizados.



5 lugares para conhecer no Alasca

13/07/2017 / Por: Bruna Kirsch

Uma viagem cheia de aventuras e emoções, onde você verá gigantescas geleiras da era do gelo, uma vida selvagem incrível e comerá muito salmão. O Alasca é terra de superlativos: é o maior estado americano, abriga o maior pico, o maior parque nacional, a maior floresta do país. Você poderá ver glaciares mais extensos do que alguns países, baleias-jubarte de até 15 metros, ursos de quase 500 quilos. Além de lagoas, vulcões, montanhas, florestas... Tudo ao mesmo tempo. Uma das melhores maneiras de visitar o país gelado é através dos confortáveis e luxuosos cruzeiros, que fazem paradas estratégicas nos melhores points. Um jeito especial de ver o Alasca (com direito a um friozinho a mais na barriga) é em um passeio de helicóptero, que é oferecido nas principais cidades. E a vida selvagem está por todos os lados. Você verá águias, alces e ursos e também belos animais marinhos, como lontras, baleias e golfinhos. 

ANCHORAGE

Anchorage é a maior cidade do Alasca e um ótimo ponto de partida para várias atrações. Localizada na península de Cook Inlet, a cidade é cercada por cadeias montanhosas que a tornam um centro para o turismo e o transporte. Em Anchorage você poderá percorrer trilhas verdes de bicicleta ou a pé que parecem infinitas. São cerca de 320 quilômetros de trilhas (no inverno muitos desses corredores são usados como trilhas de esqui).ar, mas prepare-se para comer salmão todos os dias, pois ele é o carro-chefe no país. Para uma caminhada diurna, não perca o Wolverine Park. Quem gosta de esquiar pode aproveitar o Alyeska Resort, no Sul de Anchorage, que geralmente registra a maior quantidade de neve da América Latina e conta com muitos declives intermediários e avançados. Para uma visita mais cultural, aproveita o Alaska Experience Theatre, no Centro, o Fourth Avenue Marketplace, o Alaska Native Heritage Center, entre outros. Vale visitar também o Alaska Wildlife Conservation Center, um centro de reabilitação para animais como raposas, alces e ursos, e o moderno Anchorage Museum, que revela detalhes sobre a fauna e a flora da região.


DENALI

O imperdível Parque Nacional de Denali é casa dos “top five” animais do país: ursos, lobos, alces, renas e carneiro-de-dall. O primeiro parque nacional do país foi criado em 1917 e era chamado de Mount McKinley National Park. Em 1980 foi rebatizado de Denali e seu tamanho foi triplicado. O parque não permite a entrada de carros de passeio, portanto, só excursões podem acessá-lo. Afinal, os guias e motoristas sabem qual é a melhor hora e lugar para avistar os animais (e manter a distância certa, principalmente no caso dos ursos). No caminho, os mirantes permitem vistas da vegetação local, dos lagos e glaciares. O ponto mais esperado é o Monte McKinley, o pico mais alto dos Estados Unidos, com 6,2 mil metros. Localizado no Norte de Anchorage, este parque é o maior dos Estados Unidos. Uma das melhores formas de desfrutar de todo este território é embarcando em um passeio de helicóptero saindo de Anchorage. Nos meses quentes, o parque oferece oportunidades de caminhadas, pedaladas, pesca e camping, enquanto nos meses mais frios a neve traz o cenário necessário para esquiar, caminhar na neve ou passear em trenós puxados por cães. Uma das melhores maneiras de chegar a Denali, que fica no interior do país, é através de um passeio em um trem de vidro. Muitos cruzeiros deixam os passageiros em Whittier (que fica no litoral) para embarcarem em uma viagem inesquecível de 10 horas até Denali.


 

JUNEAU

A bela e cativante Juneau é a segunda maior cidade do Alasca e um dos destinos mais cheios de atrações e aventuras. A capital do Alasca é limitada ao Oeste pelo Canal de Gastineau e Oceano Pacífico e a Leste por montanhas. Então, para chegar até ela, você precisará pegar um avião, navio ou ferry. Aproveite para caminhar por trilhas para chegar perto do Mendenhall Glacier e Nugget Falls, as atrações mais populares de Juneau. Conheça mais geleiras, icebergs, cachoeiras e imponentes paredes de rocha no Tracy Arm Fjord. Para uma emoção extra, explore a paisagem gelada de um helicóptero. Do alto, aprecie as fendas azuis transparentes. Os viajantes podem aproveitar para praticar esqui e snowboard e observar alguns dos animais selvagens mais notáveis do Alasca, como ursos, baleias, leões-marinhos, cabras montanhosas e águias. E que tal explorar o Centro da cidade? Entre as atrações obrigatórias em Juneau estão as visitas ao Museu do Estado do Alasca e Museu Juneau- Douglas. Também faça caminhadas no Glacier Gardens Rainforest Adventure e uma visita guiada para vistas panorâmicas no topo da Thunder Mountain. Não perca o teleférico Mount Roberts, que leva o visitante a 500 metros de altura e permite uma das vistas mais deslumbrantes de Juneau.

 


 

KETCHIKAN

Esta cidade que fica mais ao Sul do Estado é uma das primeiras paradas dos cruzeiros que saem de Vancouver (Canadá) rumo aos melhores destinos do Alasca. Ao chegar na graciosa Ketchikan o visitante se depara com uma placa de boas-vindas à capital mundial do salmão. As casinhas do centro histórico são quase todas de madeira, feitas em palafitas e lembram o velho oeste. Coloridas, elas contrastam com a verde da montanha atrás. As casas funcionam como lojas e restaurantes e muitas preservam a mobília dos anos 1920. Na Creek Street você encontrará muitas e muitas lojinhas que vendem salmão. Ketchikan tem apenas 13 mil habitantes e 48 quilômetros de extensão e também é lembrada pelo seu clima chuvoso. Mas é durante os meses de verão, quando a chuva costuma dar uma trégua, que a ilha recebe um maior número de visitantes. Os navios permanecem atracados por cerca de seis horas e neste tempo os visitantes se dividem entre rotas pelos fiordes (onde é possível observar baleias), trekkings e caminhadas nas montanhas, e a atividade de bearwatching em hidroaviões. Um dos lugares preferidos dos moradores é o Lago Ward. Aliás, é um local perfeito para o lazer e para um piquenique. A Floresta Tongass deve ser visitada e é a maior dos Estados Unidos. Ela conta com ciprestes de mais de 20 metros de altura.


 

SKAGWAY

Imagine viver em uma pequena cidade que no inverno faz 25 graus negativos? Talvez por este motivo é que a pequena Skagway consiga preservar suas características naturais. Sua população é de 800 habitantes (que no verão podem chegar aos dois mil – muitos viajam em trailers e montam base por lá). Ela é a única cidade da região que dá acesso ao Canadá por terra e é famosa por ser porta de entrada para Yukon, onde foram encontradas grandes quantidades de ouro no século 19. Mas Skagway é basicamente uma cidade em formato de triângulo acomodada entre duas montanhas. Ela conta com poucas ruas que podem ser percorridas em meia hora. Pequena e adorável, Skagway se alimenta basicamente pelo turismo, principalmente de maio a setembro, que são os meses mais quentes. Um dos principais pontos turísticos da região é uma estrada de ferro construída em 1898, a White Pass & Yukon Route. Os viajantes também podem desfrutar de trilhas, geleiras, escaladas em rochas e do lago Upper Dewey. Outra opção bacana por lá é o passeio de helicóptero que faz paradas estratégicas nas principais geleiras da região (as fotos ficam lindas!).

 


 

Compartilhe: