Revista Like Magazine

Este site foi desenvolvido com uma tecnologia que este navegador não suporta.
O navegador que você está utilizando está desatualizado. Ele possui falhas de segurança e uma lista limitada de funcionalidades. Você perderá qualidade na navegação em alguns sites.


Escolha um novo Navegador e navegue com mais segurança

Estas são as últimas versões dos navegadores gratuitos mais utilizados.



Gastronomia & saúde

10/07/2016 / Por: Camila Severo

Quem nunca chegou em casa cansado após um dia exaustivo de trabalho e comeu a primeira coisa que viu pela frente? Pois é, não é novidade para ninguém que rotinas como esta – aliada há outros maus hábitos alimentares, bebidas alcoólicas, fumo, excesso de carne vermelha e sedentarismo – são péssimas inimigas da saúde... Mas, você tem noção exata do quanto pode estar te prejudicando? Para saber um pouco mais sobre isso fomos ao Kurotel – Centro de Longevidade e Spa, em Gramado. De lá trouxemos esclarecimentos que, temos certeza, vão fazer você pensar duas vezes antes de escolher o que vai colocar no prato! (Confira a matéria completa na edição impressa de julho).

 

Dica importante

Para nutrir o cérebro e mantê-lo em pleno funcionamento, é fundamental ter uma alimentação saudável, ou seja, equilibrada e diversificada”, diz Larissa Santana, nutricionista do Kurotel. Segundo ela, comer bem contribui para evitar o declínio das funções cognitivas e para prevenir doenças degenerativas progressivas, como, por exemplo, o mal de Alzheimer. “Recentes estudos demonstraram que o consumo diário de frutas, vegetais, sementes, nozes, peixes e grãos melhoram as conexões entre as células e estimulam a atividade cerebral. Além disso, é importante praticar exercícios físicos aeróbicos, pois eles estimulam a formação de novos neurônios.”

 

O estresse mental, assim como o físico, gera aumento de radicais livres e o órgão que mais sofre com isso é o cérebro. O resultado é a aceleração do processo de envelhecimento, aumento do risco de câncer e doenças crônicas degenerativas. Em longo prazo, soma-se a isto efeitos como a redução da formação de novos neurônios e problemas de memória e cognição.” Gislaine Bonardi, médica do Kurotel

Compartilhe: