Revista Like Magazine

Este site foi desenvolvido com uma tecnologia que este navegador não suporta.
O navegador que você está utilizando está desatualizado. Ele possui falhas de segurança e uma lista limitada de funcionalidades. Você perderá qualidade na navegação em alguns sites.


Escolha um novo Navegador e navegue com mais segurança

Estas são as últimas versões dos navegadores gratuitos mais utilizados.



Do produtor à capsula: o caminho do café especial

11/07/2016 / Por: Camila Severo

Como pode uma pequena cápsula carregar os aromas e sabores do café de verdade? Com um simples “apertar de botão” nos remetermos às tentadoras cozinhas do interior, onde o bule está sempre fervilhando e nos convidando a uma pausa para degustar uma boa xícara? A resposta não pode ser dada em uma palavra, mas pode ser contada... E é um pouco disto que tentaremos nesta matéria, contar esta história que vimos de perto, às vésperas da colheita, ao visitar a pequena Carmo de Minas, na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais. O município é um belo exemplo de onde o plantio do café especial foi fomentado e se transformou em referência para o mundo inteiro. E, nesta história, há acima de tudo pessoas, esforço, tradição e, nos últimos anos, está a mão da Nespresso, a gigante suíça que vem apostando na produção brasileira. (Confira a matéria completa na edição impressa de julho).

 

Daqui para o mundo

É do nosso País de onde hoje vem boa parte dos cafés que chegam até as famosas cápsulas da Nespresso. E isto não ocorreu à toa, já que o terroir diferenciado de locais como Minas Gerais nos coloca numa seleta lista de grãos de altíssima qualidade – a Serra da Mantiqueira, nas montanhas de Carmo de Minas, a mais de 1,3 mil metros de altitude, é a primeira microrregião do Brasil a receber o selo de Indicação de Procedência (IP), um reconhecimento pela sua reputação mundial em produzir cafés diferenciados. Para se ter uma ideia do que estamos falando, apenas 10% de toda produção no mundo é dita “especial”. E, destas, menos de 2% se encaixam nos rígidos padrões da marca suíça, que busca perfil, aroma, sabor e qualidade específicos e sob rígidos critérios. Mas, o mais legal disso tudo é que realmente ocorre uma troca, pois, se os produtores oferecem alguns dos melhores grãos do globo, a Nespresso lhes dá qualificação. Ou seja, o trabalho envolve dedicação de verdade, onde os conceitos de qualidade, sustentabilidade e produtividade são levados a sério e têm feito a diferença.

O café é a vida da gente. É muito amor e dedicação. Vocês não podem imaginar o que é ter o nosso café em uma cafeteria. É muito orgulho.” José Pereira, produtor de café de Carmo de Minas.

Compartilhe: