- Turismo -

MESMO SEM TURISMO POR AGORA, QUE TAL PLANEJAR A PRÓXIMA VIAGEM?

16.04.2020 por Bruna Kirsch

Estamos vivendo um período sem precedentes no mundo, com incertezas que afetam a economia global como um todo, sendo o setor do turismo um dos mais prejudicados. Mas, quem ama viajar por esse mundão lindo não precisa desanimar.

Foto: Divulgação Que tal aproveitar esses dias de “quarentena” e planejar uma trip para depois que a situação estiver normalizada? Saiba que em alguns lugares do planeta a pior fase da pandemia do coronavírus já passou. E, por mais que saibamos que ainda teremos meses difíceis pela frente, não custa desbravar a rede virtual em busca de dicas de viagens, não é mesmo?

1) DEFINA O SEU DESTINO
A primeira coisa a fazer é definir o seu destino. Você gosta de praia, neve ou prefere um destino mais cultural? Vai viajar sozinho, com o companheiro(a), com filhos, com amigos? Você deve levar em consideração todos estes pontos na hora de planejar uma viagem. Afi nal, a menos que viaje sozinho, tente definir gostos com seus acompanhantes.

Consulte-os sobre suas preferências e tente chegar a um meio-termo. Você também não pode esquecer que muitos destinos têm as estações bem delimitadas, então, se quer aproveitar o inverno na Europa, por exemplo, organize-se para visitá-la de dezembro a março.

Agora, se quiser curtir uma praia no Caribe, lembre-se de que tem estações mais chuvosas e tem locais que ficam em zona de passagem de furacões durante alguns meses do ano. Portanto, pesquise, pergunte a amigos e esteja aberto a ideias!

2) DOCUMENTAÇÃO
Depois de decidido o destino, veja quais documentações são necessárias. Se for uma viagem internacional e para fora dos países do Mercosul, você precisará de um passaporte. Quem já tem o seu deve ficar atento à validade, pois é aconselhável que seja válido por, no mínimo, 6 meses, a contar da data da viagem.

Além disso, alguns países exigem visto antecipado, como os Estados Unidos, por exemplo. Neste caso, a documentação deve ser buscada cerca de seis meses antes da data da viagem, para não haver imprevistos. Além de passaporte e visto, muitos países exigem o certificado de vacinação contra
a febre amarela. Por isso, antecipe-se e faça já a sua vacina.

Foto: Abode Stock 3) DURAÇÃO E GASTO MÉDIO
Agora é a hora de colocar tudo na ponta do lápis e começar o planejamento financeiro. Fora o valor da passagem aérea, você terá despesas com hotel/casa de aluguel, alimentação, passeios, transportes e, é claro, comprinhas. Portanto, seja sensato e avalie quanto você vai precisar de dinheiro para os dias que estiver fora.

Tente fazer uma média diária de gastos com base nas suas pesquisas pela Internet. E então, ajuste o valor que poderá gastar ao tempo de viagem. Se por ventura, o valor calculado for maior do que você poderá investir, cogite diminuir o tempo de viagem, de cortar algum passeio ou destino. Não se esqueça que o planejamento financeiro é essencial para que você tenha uma viagem tranquila e agradável.

4) PASSAGEM E HOSPEDAGEM
Depois de decidir quantos dias vai viajar e em que época pretende, é a hora de pesquisar as passagens aéreas. Fique atento a períodos de promoções – o site melhoresdestinos.com.br dá boas dicas – além disso, se você tiver uma flexibilidade de datas dentro do período desejado, terá melhores chances de encontrar preços menores.

No caso de ter escala, preste atenção para o tempo de conexão entre os voos. Em alguns casos, será necessário pernoitar em algum destino de parada (ou dormir em bancos do aeroporto, o que não é muito recomendado). Veja sempre se a diferença de valor compensa. Depois de encontrar o melhor voo, comece a pesquisar sobre a sua hospedagem. Avalie se vale a pena ficar em uma casa de aluguel por temporada.

Elas geralmente têm preços menores, se comparados a alguns hotéis, mas não oferecem outras comodidades, como o café da manhã. Tente efetivar a compra da sua hospedagem pelo menos um mês antes da viagem, pois quanto mais perto da data, maiores ficam os valores.

Foto: Abode Stock 5) ANTES DE EMBARCAR
Chegando perto da viagem, certifique-se se está com toda a documentação em mãos e se as suas malas estão em boas condições de uso. É sempre bom verificar as regras de cada companhia aérea em relação à quantidade de malas e peso.

No ano passado, as companhias aéreas nacionais também padronizaram as medidas da bagagem de mão, assim, o viajante pode levar consigo (sem despachar) um objeto pessoal, que pode ser bolsa ou mochila, medindo 35 x 20 x 45cm, e uma mala de mão com as medidas máximas 35 x 25 x 55cm (comprimento x largura x altura), e com no máximo 10kg. Caso a sua viagem seja internacional, lembre-se de trocar um pouco de dinheiro para a moeda local. Depois disso, é só relaxar e curtir. Boa viagem!

Foto: Divulgação

Publicidade
Publicidade
Publicidade