- Turismo -

10 motivos para conhecer ou voltar à capital da Alemanha

16.08.2019 por Bruna Kirsch

Foto: Fotolia

A capital alemã é uma metrópole moderna, aberta e criativa no coração da Europa. Berlim representa o novo e o antigo. Suas construções históricas foram praticamente todas restauradas após a Segunda Guerra Mundial e, posteriormente, após a reunificação da cidade, que ficou dividida pelo Muro de Berlim durante 28 anos. Além disso, novas atrações deslumbrantes foram criadas. Berlim surpreende visitantes e moradores como a cidade da diversidade e dos contrastes. Quem for ao destino ainda este ano, poderá acompanhar as comemorações dos 30 anos da queda do muro e os 100 anos da Bauhaus. E, quem estiver começando a planejar sua viagem, poderá usar esta matéria como guia para saber quais são os dez points mais bacanas para aproveitar na cidade. Descubra porque o turismo de Berlim cresce ano após ano e se encante pelo destino.

Foto: THOMAS KIEROK/VISIT BERLIN

• NÚMEROS DE BERLIM •

• Berlim consolida sua posição como um dos 3 destinos turísticos mais procurados da Europa;
• Em 2018, 13,5 milhões de turistas visitaram a cidade, 4,1% a mais que no ano anterior;
• O número de pernoites também cresceu 5,5%, chegando aos 32,9 milhões;
• Em 2018, 65.822 brasileiros visitaram a capital alemã, 7,5% menos que no ano anterior;
• Ainda assim, para Berlim, o Brasil segue sendo o mercado mais importante da América Latina.

• Catedral de Berlim • 

Foto: visumate GmbH | Oliver Brügmann

A Catedral de Berlim (Berliner Dom), exemplo notável da arquitetura do final do século 19, é uma das construções mais fotografadas da cidade. E não é à toa, pois ela chama muita atenção com sua cúpula marcante e com seus 114 metros de comprimento e 116 metros de altura. Aliás, a cúpula da catedral também pode ser acessada por meio de uma longa escada, porém, a vista é recompensadora. Ela está localizada às margens do rio Spree, na Ilha dos Museus, e na outra margem do rio há diversos restaurantes e cafés convidativos para você descansar dos passeios, enquanto observa a belíssima catedral. Perto dela também está o Museu Histórico Alemão e, ao lado da Avenida de Berlim, Unterden Linden, fica a catedral católica St. Hedwigs.

• Reichstag •

Foto: pinterest

O Reichstag, também conhecido como o Prédio do Parlamento, é uma das atrações mais visitadas de Berlim. Ele foi inaugurado em 1894 e possui estilo neo-renascentista, sendo um dos monumentos mais importantes do país. Após a Segunda Guerra Mundial, no período da separação da Alemanha, o governo foi transferido para a cidade de Bonn. Durante o período da Guerra, o prédio do Reichstag passou por um incêndio e teve que ser restaurado. E, após a reunificação da Alemanha foi decidido que o governo e o parlamento voltariam para Berlim, com isso, sua estrutura passou por uma nova restauração e modernização, que foi concluída em 1999. Hoje os visitantes podem visitar a cúpula e o terraço e de lá apreciarem a agitação da cidade. Mas, atenção, faça o agendamento antecipado, pois na hora nem sempre há possibilidade de visitação. Próximo do Reichstag ficam outros edifícios do governo.

• Gendarmenmarkt •

Foto: VISUMATE/VISIT BERLIN

A Gendarmenmarkt é uma das praças mais impressionantes da cidade, localizada perto da Friedrichstraße, a rua comercial exclusiva de Berlim, no bairro central Mitte. Três dos mais impressionantes exemplos de arquitetura na capital são encontrados por lá: a Casa de Concertos (Konzerthaus), projetada por Schinkel, e as Catedrais Alemã e Francesa (Deutscher Dom e Französischer Dom). No centro da praça ainda tem uma estátua do poeta Friedrich Schiller, que foi inaugurada em 1871. Na verdade a praça foi construída a partir de 1688 e remodelada em 1877 e funcionava inicialmente como um mercado - era chamada de Linden Markt. Hoje ela sedia um dos principais mercados de Natal de Berlim. Ao redor da praça ficam vários restaurantes, cafés, lojas e hotéis de luxo.

• Portão de Brandenburgo •

Foto: Pinterest

Sem dúvida, o Portão de Brandenburgo é a atração da assinatura de Berlim. A construção de arenito é um dos mais belos exemplos do classicismo alemão. Construído em 1791, era apenas um dos muitos portões da cidade antiga em torno de Berlim e representava especialmente a separação da cidade entre o leste e o oeste. Depois da queda do Muro de Berlim, ele passou a ser o símbolo da unidade alemã. Desde 2012 está fechado ao trânsito. A decorativa Pariser Platz foi colocada ao pé do portão e é hoje o lar de muitos dos edifícios importantes da cidade, por exemplo, o Hotel Adlon, com sua riqueza histórica e a Akademie der Künste (Academia das Artes).

• Torre de Televisão •

Foto: SARAH LINDEMANN/VISIT BERLIN

A Torre de Televisão de Berlim, conhecida pelos habitantes locais como Fernsehturm, é percebida de praticamente todos os cantos da capital da Alemanha. Com 368 metros, é o edifício mais alto de Berlim. Por seu design moderno e futurista, ninguém imagina que ela foi construída na década de 1960. A subida é feita por meio de um elevador e leva o visitante ao local de visitação que proporciona uma vista espetacular de 360°. Quem preferir, pode visitar o Panorama Bar, que fica no mesmo andar, ou o Sphere, o restaurante giratório a 207 metros de altura. Dica: visite a Torre de TV com o Berlin Welcome Card e economize até 25%.

• Kurfurstendamm •

Foto: THOMAS KIEROK/VISIT BERLIN

Também chamada de Kudamm, esta é uma das avenidas mais famosas de Berlim e o endereço mais caro da capital. Por lá estão as marcas mais exclusivas, como Chanel, Cartier, Bulgari, Gucci e Chopard; e também a maior loja de departamentos da Europa, a KaDeWe. Ela estende-se desde as ruínas da Igreja Memorial Kaiser Wilhelm, na Breitscheidplatz, até o elegante bairro de Halensee. Além das tentadoras lojas, a rua também conta com hotéis de luxo, cafés e restaurantes de alta gastronomia.

• Ilha dos Museus •

Foto: Fotolia

Em Berlim, dezenas de museus e centenas de galerias expõem trabalhos artísticos significativos de épocas passadas, e também da arte contemporânea. Alguns dos mais famosos estão agrupados na Ilha dos Museus, na ponta norte da ilha do Spree. Desde 1999 a ilha pertence ao Patrimônio Mundial da Unesco pela qualidade do seu conjunto arquitetônico e cultural único. No Sul, perto da ponte do castelo e da Catedral de Berlim, está localizado o Antigo Museu, perante o qual se estende o Jardim dos Prazeres Lustgarten. Ao Norte, encontra-se o Novo Museu, bem como a antiga Galeria Nacional. O Museu Pergamon está situado ao lado do Kupfergraben, e por último encontra-se o Museu Bode, com sua arte bizantina. As coleções nestes edifícios abrangem mais de 6 mil anos de história da arte e da cultura. Dica: no site oficial visitberlin.de você pode adquirir um pacote de entradas para vários museus da cidade com preços promocionais.

• Potsdamer Platz •

Foto: pinterest

A praça é uma das principais da cidade e fica a cerca de 1 quilômetro do Portão de Brandenburgo e do Reichstag. A Potsdamer Platz mudou completamente após a queda do muro em 1989 e é dominada pela presença de prédios arrojados, arranha-céus, lojas intermináveis e a Sony Center (um complexo com lojas, restaurantes, escritórios, flats e cinemas, incluindo um iMax). Além disso, é o principal local para celebridades e estrelas, não só durante os festivais de cinema - é lá que ocorrem as pré-estreias de vários filmes internacionais.

• Palacio de Charlottenburg •

Foto: Fotolia

O magnífico Palácio de Charlottenburg está localizado fora do Centro da cidade. Construído entre 1695 e 1699, o palácio foi erguido para ser a casa de verão de Sophie Charlotte. Apesar disso, a rainha não viveu para ver a obra finalizada e, em 1705, antes chamado de Lietzenburg, passou a se chamar Charlottenburg, em sua homenagem. O palácio abriga belas coleções de porcelanas e pinturas que valem a pena serem vistas, mas, o ponto alto mesmo são os seus jardins estilo barroco. É possível passar horas caminhando, descansando e observando a vista dos jardins para o lago Spree.

• Memorial do Muro de Berlim e Centro de Documentação •

Foto: Dagmar Schwelle

Foto: Dagmar Schwelle

O Gedenkstätte Berliner Mauer (Memorial do Muro de Berlim) está localizado entre os bairros de Wedding e Mitte, na Bernauer Straße, consistindo no Memorial às Vítimas da Muralha, em um Centro de Documentação e na Capela da Reconciliação. A seção sobrevivente do muro e da torre de vigia permite que os visitantes tenham uma ideia real das instalações da fronteira.

E AINDA, EM 2019...

• 30 anos da queda do Muro de Berlim •

Foto: imageBROKER / Alamy Stock Photo

Foto: BRIAN HARRIS / Alamy Stock Photo

Foto: BRIAN HARRIS / Alamy Stock Photo

Este é um ano especial para a cidade de Berlim. De 4 a 10 de novembro será celebrado o 30° aniversário da Revolução Pacífica, que resultou na Queda do Muro de Berlim, com um grande festival. Durante sete dias, a cidade será transformada em um espaço exclusivo para exposições e eventos ao ar livre em sete locais. O destaque da celebração é um festival de música em toda a cidade na noite de 9 de novembro. Ao longo da rota da Revolução Pacífica, um festival de liberdade deve ser celebrado juntamente com berlinenses e convidados de todo o mundo. Artistas nacionais e internacionais de renome, cuja música e história estão ligados aos eventos de 1989/90 ou que representam um novo começo e uma nova partida, aparecerão em numerosas etapas. A rota da Revolução Pacífica será contada através de locais muito representativos para a história da queda do Muro, são eles: Gethsemanekirche, Alexanderplatz, Portão de Brandenburgo, Kurfürstendamm na East Side Gallery, Schlossplatz e a sede da Stasi em Lichtenberg. Quem não conseguir visitar a cidade durante a data da programação especial pode conferir a exposição permanente 1961 | 1989 Die Berliner Mauer, que ocorre no Gedenkstätte Berliner Mauer, e que proporciona uma imersão na história da divisão da cidade de Berlim, oferecendo insights sobre a história com experiências multimídias.

• Centenário da Bauhaus • 

Foto: PHILIP KOSCHEL

Este ano Berlim comemora os 100 anos da escola alemã que lançou as bases da arquitetura contemporânea, a Bauhaus. Fundada em 25 de abril de 1919, a Bauhaus foi a primeira escola de design do mundo e é conhecida como a escola de arquitetura, arte, fotografia, teatro e design mais influente de todo o século 20. Em 1933, com o advento dos ideais nazistas, a Bauhaus foi definitivamente fechada, pois era considerada uma frente comunista. Mesmo com sua rápida história, seus ideais continuam sendo difundidos e estudados até hoje. A festividade do seu centenário, a Bauhaus Week Berlin 2019, inclui uma série de eventos em todo o país entre 31 de agosto e 8 de setembro, onde o visitante poderá entender mais a fundo a importância da escola para a cidade e para toda a Alemanha. Além disso, instituições culturais, museus e projetos estão abordando o tema sob diferentes perspectivas ao longo do ano. A exposição Bauhaus Imaginista, já apresentada em São Paulo, evidencia a influência da escola sobre as correntes modernistas do mundo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade