- Moda -

FASHIONS & SUSTENTÁVEIS: A ASCENSÃO DOS BRECHÓS

27.07.2020 por Nelson Batista Zimmer

O que nos motiva a adquirir uma peça de roupa usada? O que nos faz lançar um novo olhar e desejar um vestido que já esteve em outro closet?

Foto: Adobe Stock Valor da mercadoria? Boas práticas ambientais ou um simples ponto de interrogação da nossa consciência existencial? Talvez todas as anteriores sejam alternativas corretas – e muitas outras ainda – e nos convidem a experimentar, inserir nossos cartões, digitar nossas senhas bancárias e levar para casa, geralmente em uma sacola reutilizada, itens que, além de estarem em ótimo estado, nos farão tão bem quanto roupas novas. Bem-vindos ao mundo dos brechós!

O "DESAPEGO" CRESCE NO UNIVERSO FASHION MUNDIAL

Brechós tendem a crescer ainda mais até 2025. Isso, graças aos hábitos saudáveis que temos adquirido ao longo dos últimos dez anos. Entre eles, uma crescente consciência a respeito do impacto da moda no meio ambiente e, também, da crescente voz dos consumidores com o advento das redes sociais.

Segundo dados da empresa de análises Global Data, especialmente no que diz respeito ao segmento varejo, o mercado mundial de second hand, associado ao de vendas diretas, deve dobrar até 2025. Ou seja, deveremos ir de US$ 24 bilhões para US$ 51 bilhões até lá, números que não precisam de muita explicação para demonstrar seu real impacto no mercado.

Para se ter uma ideia mais precisa, um levantamento recente feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) junto com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aponta que seis em cada dez consumidores compraram algum item de segunda mão entre 2018 e 2019, corrente alimentada também pelas gerações Y e Z (os nascidos em meados dos anos 1980 até o fim da década de 1990). E, com taxa de 96% de satisfação entre os entrevistados.

FAMOSAS ADEPTAS

Foto: Michael Ochs Archives Talvez a precursora do hábito tão saudável – e sustentável – de reciclar roupas tenha sido ninguém mais, ninguém menos, que Jackie Onassis (ex-primeira-dama dos Estados Unidos da América – Onassis, de quando já casada com o magnata grego Aristóteles Onassis). Segundo o livro The Fabulous Bouvier Sisters: The Tragic and Glamorous Lives of Jackie and Lee, escrito em 2018, Jackie recebia uma mesada de cerca de US$ 30 mil para seus gastos pessoais com roupas e acessórios, do então marido.

Logo ela percebeu que esse valor era insuficiente. Em um ano, Jacqueline atingiu a quantia de US$ 9 milhões em compras. Então, o que fazer? Decidiu continuar comprando como sempre, mas, após vestir as peças uma ou duas vezes, ela revendia para as amigas. Dessa forma, Jackie podia manter sua rotina de shopping, sem “estourar” o orçamento e garantir que o mundo inteiro continuasse a admirar o seu incrível gosto estético que, por sinal, foi copiado à exaustão ao redor do globo, especialmente quando casada com o ex-presidente americano John Kennedy, nos anos 1960.

Corta para 2020, Brasil. Entre o hall de brasileiras que acreditam nas roupas e acessórios de second hand está a atriz Marina Ruy Barbosa, que se envolve fortemente com moda dentro e fora das passarelas, incluindo lançamentos de importantes grifes. A famosa é flagrada aqui e no exterior comprando peças lindas em muitos brechós. Inclusive, ela gosta de adquirir
acessórios de amigas, como bolsas e outros itens.

A lista segue forte com outros nomes famosos, como Camila Coutinho, Isis Valverde, Duda Beat, Nanda Costa, Fernanda Paes Leme, Taís Araújo, Manu Gavassi, Sabrina Sato, Giovanna Lancelotti, entre muitas outras, que acreditam no poder de um look vintage repleto de estilo e valor de moda adquiridos com o tempo, seja por aqui ou na gringa.

VALE DO SINOS TEM SEUS HIGHLIGHTS

Os brechós e lojas especializadas em artigos de segunda mão também crescem no Vale do Sinos, para a alegria dos consumidores. A Like Magazine elencou alguns dos principais negócios da região e conta um pouco a história de cada um deles, seus valores e suas práticas. Nunca moda e sustentabilidade andaram tão coladas, enfatizando a responsabilidade que temos sobre o nosso planeta e sobre uma economia que transcende gráficos e números, mas que toca de todas as formas os envolvidos nesse processo lindo e salutar que é o garimpo. Vem com a gente!

BRESHOPPING

Foto: Divulgação Em Novo Hamburgo, no finalzinho da rua Joaquim Pedro Soares, fica o charmoso Breshopping, no bairro Guarani. Claudia Felix Scheffel, a Claudinha, é quem comanda o espaço que abriu em 2007. “Comecei trabalhando com desapegos, focada no nicho feminino e oferecendo peças sempre limpas e perfumadas, um dos nossos diferenciais até hoje.” Foi na garagem de casa que ela iniciou o seu negócio, disputando espaço com o carro do marido, que passava o dia fora. Logo, nichos masculino e infantil estavam incorporados ao negócio e o carro perdera seu lugar.

A falta de fornecedores locais fez com que ela explorasse a cidade de São Paulo para buscar novidades. “Após cinco anos viajando parei, pois percebi que estava perdendo a essência. Sempre tive paixão por roupas usadas e eu era a figura da família que usava a blusa da mãe com o casaco da avó, por exemplo. Roupas de second hand simbolizam histórias para mim. Fico imaginando em que ocasião foram usadas”, completa.

A clientela do Breshopping é variada e, segundo Claudia, vem em busca de itens, às vezes, específicos, como uma roupa de uma década passada, por exemplo, ou por grifes como Nike, Triton, Puma, LeLis Blanc, Colcci, Lança Perfume, Ellus. A variedade de estilos e marcas é muito grande e o valor das peças oscila entre R$ 15 e R$ 60.

Outra coisa bacana é que há cinco anos Claudia criou parcerias com lojistas e pequenos fabricantes de roupas. Logo, estoques e produtos que sobraram de coleções passadas ou grades incompletas, chegam ao brechó no formato consignado (com até 70% de desconto). Sustentabilidade está no DNA do negócio que tenta, através da venda de roupas usadas, diminuir a agressão ao planeta. O Breshopping também é parceiro permanente do PAS – Projeto Abraço Solidário e reverte mensalmente um percentual de suas vendas à causa. A menina Livia, portadora de AME (Atrofia Muscular Espinhal), também tem a atenção do Breshopping, que vende chaveirinhos do amor.

O Breshopping fica na Rua Joaquim Pedro Soares, 1.819, Novo Hamburgo. Contato pelo celular/WhatsApp (51) 98577-4811. Veja mais no perfil do Instagram @breshopping.nh ou Facebook: /breshoppingnh.

BRECHÓ CLOSET MIX

Foto: Divulgação Já no início da subida da Serra, em Ivoti, fica o Brechó Closet Mix das irmãs Diane e Derli Remor. O negócio iniciou em 2003 e elas têm orgulho de estarem no mercado desde então: “Iniciamos com outras duas sócias, com eventos de fins de semana em nossa cidade, quando chegaram as primeiras clientes. Depois, esses eventos passaram a ser itinerantes, incluindo locais maiores, como Estância Velha, Novo Hamburgo e Porto Alegre. A novidade foi muito bem aceita”, conta Diane.

No sétimo ano, passaram a ter um endereço fixo e, em 2016, a primeira ampliação. Hoje, contam com mais de três mil peças cadastradas em seu acervo, que tem foco no público feminino, mas não dispensa masculino e infantil. “Nosso mix tem muitos acessórios e calçados, algumas peças de decoração, utilitários e objetos antigos também estão presentes, todos de segunda mão,
mantendo a ideia principal”, explica ela. O brechó das sisters tem espaço para marcas como Le Lis Blanc, Forum, Farm, Armani, Animale, Jorge Bischoff, Schutz, Calvin Klein, Zara, Arezzo, Blue Steel, Carrano, Hering e muitas outras. Os preços variam entre R$ 29 e R$ 52, em média.

O assunto sustentabilidade é levado muito a sério no Closet Mix, desde o seu surgimento. “Não comprava em brechós. Comecei a conhecer e frequentar depois de ter um e passei a tomar consciência da moda sustentável e me livrar do preconceito. Hoje, vejo que fomos felizes neste objetivo”, avalia Diane, que ajuda a estimular essa consciência nos seus clientes.

O público-alvo do Closet Mix são mulheres entre 25 a 60 anos, em sua maioria, profissionais liberais, empresárias, independentes financeiramente, que buscam peças específicas ou itens diferenciados, únicos e atemporais, os famosos “achados”! “Procuram roupas de marcas renomadas e de qualidade, com valores em conta, que só os brechós proporcionam. E o mais legal é que elas vêm com a mentalidade direcionada ao reaproveitamento, ao reúso e a dar uma segunda chance às roupas”, finaliza Diane.

O Brechó Closet Mix fica na Rua Albino Hugo Muller, 1.314, Ivoti. Contato pelo celular/WhatsApp (51) 98433-1820. Mais no Instagram @closetmixbrecho e Facebook: /closetmixbrecho.

CUSTOMIZEI HOUSE

Foto: Divulgação A mãe costureira foi a grande inspiração para Karem Waltzer fundar o seu negócio em 2016. “Sempre gostei e frequentei brechós desde pequena. Minha mãe foi uma grande incentivadora e atua comigo no Customizei. Gosto de vestir peças diferentes, com alguma história". O espaço
fica em Novo Hamburgo, no bairro Rio Branco.
Depois de perder seu emprego, Karem resolveu iniciar o negócio na própria garagem de sua antiga casa. Começou fazendo eventos e recebia, em média, 300 pessoas. Ela revela: “O crescimento foi aos poucos, cada vez mais investindo, reinventando e customizando peças, coisas que amo fazer”.

O Customizei tem uma configuração diferenciada, já que também atua como loja, vendendo artigos novos. O universo de peças do brechó atende pessoas que buscam desde produtos baratos de R$ 10, por exemplo, até itens com preço mais elevado e de marcas diferenciadas, como Animale, Dudalina e Bobstore. É um negócio muito democrático, feito para clientes que “gostam de se vestir bem, economizando e recebendo um atendimento diferenciado, num ambiente mais exclusivo. A ideia é oferecer um espaço de luxo, mas com preços realistas, que cabem no bolso”, aponta Karem.

Uma das novidades do negócio é que em junho começaram a produzir peças da própria marca. Encantar através do reúso, do desapego e até mesmo incentivar as consumidoras a inventar a sua própria tendência é um dos focos do Customizei. As histórias são muitas, com peças de roupas simples ou sofisticadas. Karem lembra: “Uma peça que vibrei ao vender foi uma saia incrível Dolce & Gabbana. A cliente ficou muito feliz, pois conseguiu este garimpo original por apenas R$ 30. É muito bom dar à roupa uma nova chance de fazer alguém feliz”.

O Customizei House fica na Rua Pelotas, 45, em Novo Hamburgo. Celular/WhatsApp (51) 99125-3794. Instagram: @customizei.house e Facebook: /customizeihouse.

YES! BRECHÓ

Foto: Divulgação No centro de São Leopoldo fica o Yes! Brechó, fundado pelas amigas Elizete Chilim de Mello e Eunice Mendes, em setembro do ano passado. Elizete já trabalhava com roupas second hand e Nice também havia tido uma loja, mas de outro segmento. Então, depois de pesquisarem e buscarem por um espaço, abriram as portas do seu negócio. “Sempre acreditei que cada um pode e deve fazer a sua parte para a preservação do meio ambiente. Juntar essa ideia à venda de peças ótimas e com preços em conta é a combinação perfeita”, conta Elizete. O amor dela pelos brechós iniciou quando teve o seu primeiro filho.

O mix de peças e marcas inclui grifes renomadas e itens de fast fashion, atendendo a todos os estilos de clientes, desde os que buscam preços mais baixos até os que estão dispostos a pagar um pouco mais. O valor das roupas varia de R$ 5 a R$ 100 (poucas custam mais de R$ 50). O público também é eclético, composto essencialmente por mulheres que gostam de se vestir bem e que buscam artigos exclusivos. Algumas roupas são realmente especiais e o Yes! já chegou a vender uma blusa que, iguais a ela, só existiam cinco no Brasil e apenas uma no Rio Grande do Sul.

As redes sociais sempre foram e são grandes aliadas do Yes!. “Nesse momento em que se prioriza ficar em casa, a presença virtual ativa é praticamente a maior fonte de captação de clientes e vendas. Sempre postamos muitas fotos na Internet. Nunca tínhamos feito uma live, mas por conta da situação atual, aderimos a esse recurso e foi uma experiência incrível”, aponta Elizete.

O atual momento tem se mostrado bom para os negócios. “Acreditamos que devido à questão econômica, ainda mais pessoas aderem à ideia de fazer compras em brechós e, aos poucos, estamos conseguindo mostrar que é possível comprar peças boas, cheirosas, num ambiente bonito e com valor justo”, finaliza ela. O Yes! Brechó fica na Rua São Joaquim, 949, sala 03, em São Leopoldo. Contato pelo celular/WhatsApp (51) 99800-0483. Veja mais no Instagram @yesbrechosl ou Facebook: /yesbrechosl.

Publicidade
Publicidade
Publicidade