- Gente -

GABRIELLA VIEIRA: A EMPRESÁRIA À FRENTE DO INSTITUTO SORRIR

17.02.2020 por Bruna Kirsch

Uma mulher forte e batalhadora, que gosta do contato com as pessoas e pensa no próximo. Essas são algumas das qualidades da empresária Gabriella Vieira, 33 anos, CEO do Instituto Sorrir, de Novo Hamburgo.

Foto: Rodrigo Fanti

A clínica odontológica começou na cidade em 2010, quando Gabriella desempenhava o papel de secretária. Ela revela que chegou a pensar em atuar como dentista, mas viu que seu grande amor era pela administração. Gabriella acabou virando gerente e, em 2018, assumiu a gestão da clínica tornando-se CEO. “Gosto de dizer que somos muito mais do que uma clínica odontológica. Contamos com tratamentos nas mais diversas especialidades, mas acima de tudo, buscamos oferecer empatia aos nossos clientes, nos colocando no lugar deles, fazendo com que sua vinda ao dentista seja uma parte legal do seu dia”, afirma. Atuam na clínica seis dentistas, nas áreas de clínica geral, prótese, implantodontia, ortodontia, harmonização facial, estomatologia, periodontia e odontopediatria. Além disso, Gabriella se orgulha ao dizer que contam com um laboratório próprio de prótese dentária. Entre os planos futuros, estão a expansão e a busca de conhecimentos, além do engajamento do Instituto Sorrir com trabalhos sociais, visando a educação bucal das crianças da comunidade.

TRAJETÓRIA PROFISSIONAL
Filha de hamburguenses, Gabriella Vieira é natural de Belo Horizonte, mas se mudou para Novo Hamburgo quando tinha 12 anos. Na cidade, ela estudou no Colégio Cenecista Felipe Tiago Gomes e também na Feevale. Gabriella conta que começou a trabalhar quando ainda era adolescente, aos 16 anos, em uma surf shop. Aos 20 anos, foi trabalhar como secretária da dentista Camila Maia, em uma clínica em Novo Hamburgo. E foi aí que seu destino mudou. Poucos anos depois, em 2010, a Dra. Camila fundou o Instituto Sorrir, e Gabriella acabou migrando junto para a nova clínica. “Minha carreira praticamente iniciou no Instituto Sorrir, literalmente crescemos juntos. Digamos que eu fui junto com a mudança”, brinca. Na época, o sonho de Gabriella era ingressar na faculdade de Odontologia. “Meu sonho era ser dentista quando ingressei na clínica. Mas, depois de trabalhar como auxiliar odontológica por um ano eu desisti. Não era aquilo que eu queria. Eu sempre tive uma veia empreendedora e gostava da parte burocrática. Gostava do tratamento das pessoas, mas não daquele tipo de atendimento”, conta. Assim, resolveu cursar Administração de Empresas. “Acho muito importante o gerenciamento de pessoas. Comecei no curso e me identifiquei. Tive que fazer uma pausa para ser mãe e retomei a graduação em 2018. Pretendo me formar em dezembro de 2022”, aponta a mamãe da Stella, que hoje está com 5 aninhos.

Foto: Rodrigo Fanti

INSTITUTO SORRIR
O Instituto Sorrir iniciou suas atividades em março de 2010, fundado pela Dra. Camila Maia. “Ela sempre teve esse anseio de construir algo maior, que fosse além do consultório odontológico. Mas, como a maioria dos negócios, o início foi bem difícil. Aos poucos e com muito trabalho, fomos conquistando a credibilidade dos pacientes, e hoje atendemos não somente o público da região, mas até mesmo pacientes do exterior, que aproveitam a vinda ao Brasil para fazer seu atendimento no Instituto Sorrir”, conta Gabriella. Depois de passar pelos papéis de secretária, auxiliar odontológica, tornou-se gerente da clínica em 2011. E, em 2018, com a saída de Dra. Camila para ir morar no exterior, Gabriella passou a assumir o negócio e tornou-se CEO e administradora. Como ela mesmo resume, faz de tudo um pouco. “Sou a administradora, faço a parte comercial, marketing, entre outros. Quando a gente empreende é assim”, menciona. Ela aponta ainda que ao seu lado estão dois sócios: o Dr. Guilherme Steigleder, que é diretor clínico, e faz o gerenciamento dos dentistas; e a Edinéia Carlotto, que é técnica em prótese dentária e faz a diretoria laboratorial. Gabriella se orgulha ao mencionar que hoje sua equipe conta com seis dentistas: Dr. Guilherme Steigleder, que além de diretor clínico é o responsável pelos planejamentos dos casos e atendimentos de prótese, estética odontológica e endodontia; Dra. Fernanda Portella, harmonização facial e ortodontia; Dr. Rafael Cabral, ortodontia; Dr. Gabriel Krueger, estomatologia e clínico geral; Dra. Brenda Feltes, odontopediatria e clínica geral; Dra. Paula Lawall, bucomaxilofacial, implantes e extração de sisos. Ela ainda menciona que a Dra. Camila Maia, fundadora do Instituto Sorrir, hoje proporciona suporte técnico e científico.

Foto: Rodrigo Fanti

TECNOLOGIAS E CAPACITAÇÃO
Segundo Gabriella, o Instituto Sorrir tem como um de seus focos a tecnologia aliada à capacitação de seus profissionais. “De nada serve o equipamento mais moderno se quem vai operá-lo não fizer da forma correta. Claro que sempre buscamos trazer aquilo que vai facilitar e agilizar o tratamento. Da parte tecnológica, nossos destaques são a endodontia (tratamento de canal) mecanizada, que agiliza e diminui o número de consultas, e o laboratório de prótese, que além de agilizar todo o tratamento ainda possibilita a reconstrução do sorrisos de forma bem personalizada”, explica. Ela acrescenta ainda que dispõe de outro equipamento de diagnóstico de ponta, que realiza um check-up digital. “Ele é feito com uma câmera intraoral que aumenta em até 60 vezes a imagem. Muitas vezes através desse diagnóstico é possível localizar algo que a olho nu não seria possível, como uma cárie iniciando, por exemplo. O legal é que tudo fica documentado em fotos e vídeos junto com a ficha do paciente”, conta.

ODONTOLOGIA ESTÉTICA
Gabriella acredita que antigamente as pessoas iam ao dentista para sanar algum problema, mas hoje, devido à evolução cultural, elas fazem tratamentos de cunho preventivo. “Com certeza a estética é uma forte aliada. É possível transformar esteticamente um sorriso de forma rápida e segura, além dos tratamentos de harmonização facial, que nos possibilitam manter por muito mais tempo a jovialidade e fazer correções”, destaca.
Segundo a CEO, a ideia com a harmonização facial é aprimorar o que a pessoa já tem. Dentre as técnicas de harmonização facial, Gabriella explicou as mais procuradas:
• Lipo de papada: onde são aplicadas enzimas que ajudam na eliminação da gordura;
• Preenchimentos: podem ser feitos nos lábios, maçãs do rosto, masseter e no nariz (rinomodelação) – seus resultados geralmente duram de 8 a 12 meses;
• Botox: tanto para fi ns estético, de tratamento de rugas e marcas de expressão, quanto para tratamento de bruxismo;
• Skinbooster: tratamento para rejuvenescimento da pele.

Foto: Rodrigo Fanti

PLANOS E METAS
Segundo a CEO do Instituto Sorrir, Gabriella Vieira, entre as metas para 2020 está a expansão e a busca por ainda mais conhecimento. “A área da odontologia está em constante evolução e sabemos da importância que é estarmos sempre atualizados para atendermos nossos pacientes. Há um ano não atendíamos nas segundas-feiras e tínhamos um corpo clínico com três dentistas. Hoje, atendemos de segunda a sexta, e quase sempre com três consultórios ativos, dobramos o número de profissionais e sabemos que temos capacidade (e força de vontade) para ainda mais”, dispõe. Para ela, o segredo para o sucesso é simples: fazer o que se ama. “Quando trabalhamos apenas pensando no retorno financeiro, fazemos por um tempo, mas aquela atividade vai ficando chata. Acredito que precisamos ter propósito, assim como dedicação e ousadia. Dedicação, pois os resultados acontecem à medida do nosso esforço, e ousadia porque é difícil ser empreendedor nesse País! Se não formos ousados, acabaremos ficando sempre no mesmo lugar”, reflete.

PROJETOS SOCIAIS
Uma das preocupações de Gabriella e do Instituto Sorrir é estarem inseridos em projetos sociais que beneficiem a comunidade. “Nossa principal atuação em projetos sociais é a odontologia preventiva, focando nas crianças, orientando em como cuidar da higiene bucal e o quanto isso impacta na saúde geral do organismo”, destaca. Ela conta que já estiveram em escolas públicas da região fazendo trabalhos com adolescentes, mas que este ano querem focar nas crianças menores. Além disso, Gabriella adianta que estão com um novo projeto, em parceria com o Rotary Novo Hamburgo Oeste, ainda em fase de formatação. “A ideia é adotarmos uma escola do bairro Santo Afonso para fazermos a parte da odontologia preventiva com as crianças. Faremos uma triagem, e os casos mais graves pretendemos tratar de forma gratuita na clínica”, adianta.

Publicidade
Publicidade
Publicidade